Show simple item record

dc.contributor.authorSalim, Jacqueline Malta
dc.coverage.spatialUniversidade de Ribeirão Preto - UNAERPpt_BR
dc.date.accessioned2021-04-08T18:59:06Z
dc.date.available2021-04-08T18:59:06Z
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unaerp.br//handle/12345/331
dc.description.abstractO conflito entre os valores liberdade e igualdade tem se mostrado como um dos mais desafiadores na filosofia política contemporânea, pois ambos constituem os pilares sobre os quais está fundado o Estado Democrático de Direito. A cidadania, enquanto conjunto de direitos que devem ser universalizados, de forma igualitária, a todos os membros de uma sociedade democrática, tem sido solapada pelos crescentes níveis de desigualdade socioeconômica, que acabam por afetar, inclusive, o núcleo da igualdade formal, provocando um sentimento geral de que uma faixa privilegiada da população não se submete às mesmas regras jurídicas que os demais. A questão é agravada pelo fato de que as sociedades modernas têm se tornado cada vez mais complexas e pluralistas, fruto da ação humana no interior das instituições livres e democráticas. A existência de uma grande variedade de visões filosóficas, morais e religiosas dificulta a obtenção de um consenso entre a maioria dos cidadãos em torno de uma concepção adequada de justiça, que atenda às demandas da igualdade democrática, sem prejudicar as liberdades básicas. Diante da preocupação com a estabilidade da sociedade, tendo em vista a constatação de que uma democracia não pode conviver de forma íntegra com desigualdades excessivas, indaga-se, nesta pesquisa, sobre o papel do Estado, em especial do Poder Judiciário, na concretização da cidadania e dos direitos fundamentais. Nesta revisão bibliográfica, procurou-se apresentar duas diferentes abordagens: a vertente de corte sociológico, elaborada por Niklas Luhmann, e outra, mais filosófica, proposta por John Rawls. Ambas se projetam sobre o relacionamento entre o poder político, tanto em sua concepção ampla de soberania popular, quanto estrita, de atuação do Governo e Parlamento, e a ordem jurídica, representada não apenas pelo ordenamento, como também pelos atores do Judiciário, tendo como cenário as democracias constitucionais contemporâneas. O objetivo é justamente averiguar a legitimidade do protagonismo judicial na solução de assuntos controvertidos de grande interesse social e político, sem perder de vista as diretrizes da própria ordem constitucional.pt_BR
dc.format.extent122 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectCidadaniapt_BR
dc.subjectDireitos civispt_BR
dc.subjectDemocraciapt_BR
dc.title(Re)pensando a cidadania: a relação do político com o jurídico no contexto de concretização dos direitos fundamentaispt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisorOliveira, Rafael Thomaz de


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record



UNAERP
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons