Show simple item record

dc.contributor.authorLovo, Isadora Alves
dc.coverage.spatialUniversidade de Ribeirão Preto - UNAERPpt_BR
dc.date.accessioned2021-04-05T20:16:22Z
dc.date.available2021-04-05T20:16:22Z
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unaerp.br//handle/12345/298
dc.description.abstractA água utilizada para consumo humano deve passar por tratamento para se tornar potável. Uma das tecnologias de tratamento de água mais utilizada no Brasil é a de ciclo completo, que contempla as etapas de coagulação, floculação, sedimentação, filtração e desinfecção. Nesse tipo de tratamento, há a geração de resíduos em maior quantidade nas unidades de decantação e filtração, também denominados de lodos ou RETAs, que causam impactos ambientais quando lançados indevidamente nos mananciais sem tratamento. Uma alternativa muito utilizada para tratamento dos resíduos gerados em ETA é o adensamento por gravidade seguido do desaguamento por centrifugação, ambos com aplicação de condicionantes químicos, principalmente de polímeros, e o retorno da água recuperada ao início da ETA. Muitos polímeros sintéticos apresentam acrilamida em sua composição, composto nocivo à saúde humana, cujo valor máximo permitido é de 0,5 µg/L na água tratada segundo a Portaria nº 2.914 do Ministério da Saúde. No presente trabalho foi preparada uma amostra de água e submetida a ensaios de tratabilidade para a obtenção do lodo. A partir do lodo gerado, foram preparados "lodos" com diferentes concentrações de sólidos suspensos totais (SST) e testados diferentes condicionantes químicos (polímeros sintéticos e polímeros orgânicos) nos ensaios de bancada de adensamento por gravidade e de desaguamento por centrifugação. Adicionalmente, foram feitos ensaios para avaliação do impacto da recirculação da água clarificada, tanto no adensamento como no desaguamento, na qualidade das águas bruta e filtrada. Os resultados mostraram que os polímeros sintéticos foram mais eficientes que os polímeros orgânicos no adensamento por gravidade, e que quanto maior a concentração de SST no lodo inicial, menores os valores para turbidez e sólidos totais da água clarificada, assim como velocidades maiores de clarificação e adensamento. Para o desaguamento por centrifugação, os polímeros sintéticos e orgânicos apresentaram resultados satisfatórios relacionados à turbidez do clarificado, em que todos foram menores do que 5,0 uT; em termos de concentração de SST no lodo inicial, quanto maior a concentração, menor a quantidade de sólidos totais presentes no clarificado, assim como valores de carbono orgânico total e maior teor de SST na torta final. A remoção da turbidez chegou a 95% para o lodo de 5,7 g SST/L nos ensaios de adensamento e em torno de 99,9% para o lodo de 5,7 e 23,9 g SST/L nos ensaios de desaguamento. Os resultados dos ensaios de recirculação da água clarificada indicaram que não houve impacto na qualidade das águas bruta e filtrada em termos de carbono orgânico total e acrilamida, mas como ponto positivo houve redução da turbidez da água decantada quando comparada com o ensaio feito sem a água recirculada.pt_BR
dc.format.extent216 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectResíduospt_BR
dc.subjectTecnologia ambientalpt_BR
dc.subjectÁgua - Tratamentopt_BR
dc.titleAvaliação do adensamento por gravidade e do desaguamento por centrifugação do lodo gerado pelo tratamento de águapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisorDi Bernardo, Luiz


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record



UNAERP
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons