Show simple item record

dc.creatorCoelho, Renata de Araújo
dc.creator.IDpor
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/6075208802295426por
dc.contributor.advisor1Silva, Ricardo Gariba
dc.contributor.advisor1IDpor
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6862726437683206por
dc.date.accessioned2016-05-20T17:40:05Z
dc.date.available2009-06-01
dc.date.issued2008-05-28
dc.identifier.citationCOELHO, Renata de Araújo. Influence of bleaching agents and light activation on the resistance to fracture of sound human teeth: an ex-vivo study. 2008. 100 f. Dissertação (Mestrado em Endodontia) - Universidade de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, 2008.por
dc.identifier.urihttp://tede.unaerp.br:8180//handle/tede/48
dc.description.resumopor
dc.description.abstractEste estudo avaliou a influência da aplicação de agentes clareadores, fotoativados ou não, sobre a resistência à fratura de dentes hígidos. Noventa incisivos superiores foram divididos aleatoriamente em 9 grupos (n=10) de acordo com o tratamento recebido na superfície externa da face vestibular: GI- peróxido de carbamida a 35%, GII- peróxido de hidrogênio a 38%, GIII- luz halógena, GIV- sistema LED laser, GV- peróxido de carbamida a 35% + luz halógena, GVI peróxido de hidrogênio a 38% + luz halógena, GVII- peróxido de carbamida a 35% + sistema LED laser, GVIII- peróxido de hidrogênio a 38% + sistema LED-laser e GIX- sem tratamento (controle). Os tratamentos foram repetidos 6 vezes, em sessão única, o gel clareador foi aplicado durante 20 segundos, fotoativado ou não durante esse período. A distância da fonte ativadora à superfície dental foi padronizada em 10 mm. Os dentes foram incluídos em resina acrílica até a altura da junção amelo-cementária e fixados em dispositivo com inclinação de 135° para realização do teste de resistência à fratura em Máquina Universal de Ensaios. O teste de Tukey demonstrou que GI (0,15±0,06 kN) e GVI (0,19±0,07 kN) foram estatisticamente semelhantes entre si (p>0,05), apresentaram os menores valores de resistência à fratura e foram estatisticamente diferentes (p<0,05) do GV (0,65±0,49 kN), que apresentou os maiores valores de resistência à fratura. Os demais grupos apresentaram valores intermediários, ora estatisticamente semelhantes (p>0,05) ao grupo dos maiores valores, ora aos menores. Todos os grupos analisados foram estatisticamente semelhantes (p>0,05) ao grupo controle. Concluiu-se que os agentes clareadores testados, os fotoativadores, bem como a associação deles, não alteram a resistência à fratura dos dentes submetidos ao clareamento dental externo.eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.thumbnail.urlhttp://tede.unaerp.br:8180//retrieve/84/RENATA%20DE%20ARAUJO%20COELHO.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade de Ribeirão Pretopor
dc.publisher.departmentEndodontiapor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUNAERPpor
dc.publisher.programPós-Graduação em Odontologiapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectEndodontiapor
dc.subjectDentes - Clareamentopor
dc.subjectDentes Fraturapor
dc.subjectEndodonticseng
dc.subjectTeeth Bleachingeng
dc.subjectTeeth-Fractureeng
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIApor
dc.titleInfluência de agentes clareadores e ativação por luz sobre a resistência à fratura de dentes humanos hígidos: estudo ex-vivopor
dc.title.alternativeInfluence of bleaching agents and light activation on the resistance to fracture of sound human teeth: an ex-vivo studyeng
dc.typeDissertaçãopor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record


Mantenedor
UNAERP
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons