Show simple item record

dc.contributor.authorArouca, Aldo
dc.coverage.spatialUniversidade de Ribeirão Preto - UNAERPpt_BR
dc.date.accessioned2021-04-05T17:50:31Z
dc.date.available2021-04-05T17:50:31Z
dc.date.issued2014pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unaerp.br//handle/12345/289
dc.description.abstractHá uma importante lacuna nos conhecimentos de implantação e operação de rodovias, nos aspectos que envolvem a drenagem superficial, a faixa de domínio e os corpos hídricos, quanto aos impactos ambientais gerados pelo carreamento de solo e resíduos sólidos rodoviários. Objetivando contribuir com o avanço do tema e procurando dar efetividade e eficiência a faixa de domínio do corpo estradal e as áreas de preservação permanentes interceptadas pela rodovia, onde constantemente são atribuídos à rodovia como êmbolo indutor de erosão, assoreamento, e movimentação de resíduos sólidos na micro bacia contribuinte onde se verifica a infra estrutura rodoviária na região. Vale ressaltar que além destes aspectos já citados há também o acréscimo da rota de tráfego de produtos perigosos, que embora tenha legislação específica de transporte, impacta diretamente os mananciais de água da bacia hidrográfica regional, quando de acidentes no segmento rodoviário. Foram desenvolvidas várias frentes, em que se observa o potencial impactante e suas magnitudes, onde se formula as proposituras do projeto de pesquisa através de setores Água, Ar e Solo no segmento estradal e que recebe o nome de Km Ambiental. No setor Água é composto das seguintes técnicas: Controle da drenagem superficial e condução das águas superficiais; Caixa redutora de velocidade e alimentadora das águas subterrâneas; Caixa redutora de impacto difuso no corpo hídrico receptor; no setor Ar composto pelos módulos florestais de neutralização parcial de CO2; módulos sucessionais de controle de poluição sonora em áreas conturbadas e trevos e no setor Solo composto de condomínios florestais de espécies nativas (junto das APP e corredores faunísticos) e arborização rodoviária (combate aos passivos ambientais). A pesquisa foi definida no campo exploratório de acordo com o objetivo, pois segundo Gil (2012) a pesquisa exploratória é utilizada para realizar um estudo preliminar de técnicas propiciando ao pesquisador uma visão geral de tipo aproximativo e apropriativo adotando-se vários trechos rodoviários para observação, analise, aplicação, comparando as variáveis técnicas e principalmente a validação da principal estrutura técnica, caixa difusa desenvolvida para este estudo de caso. Nas políticas públicas de infraestrutura rodoviária apresentam-se grandes fundamentos legais em seus propósitos de licenciamentos dos empreendimentos rodoviários, porém ficam restritos somente ao revestimento asfáltico, sendo que o remanescente em solo original e toda sua interface com a área lindeira vêm potencializando os efeitos de bordo das rodovias onde a degradação e o empobrecimento da biodiversidade na faixa de domínio e consequentemente junto aos lindeiros. Desta forma o Km Ambiental monitora vários parâmetros a fim de colaborar efetivamente com técnicas para combater a degradação Ambiental e restabelecer a biodiversidade ao longo do segmento rodoviário, onde a natureza nos ofertou nobremente seus recursos naturais.pt_BR
dc.format.extent165 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectSustentabilidadept_BR
dc.subjectImpacto ambientalpt_BR
dc.subjectRodoviaspt_BR
dc.titleTécnicas para controle dos impactos ambientais na operação e conservação de rodoviaspt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisorNovaes, Luciano Farias de


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record



UNAERP
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons