Show simple item record

dc.contributor.authorMaciel, Hagar Ceriane Costa Corsini
dc.coverage.spatialUniversidade de Ribeirão Preto - UNAERPpt_BR
dc.date.accessioned2021-04-05T13:17:14Z
dc.date.available2021-04-05T13:17:14Z
dc.date.issued2016pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.unaerp.br//handle/12345/275
dc.description.abstractO uso continuado de pesticidas no controle de pragas agrícolas tem preocupado a população em relação aos efeitos nocivos destes compostos sobre os seres humanos e animais, bem como com a possível contaminação dos recursos hídricos e do solo decorrentes desta prática. Uma alternativa de controle tem sido o uso do controle biológico que vem se intensificando nas últimas décadas. Entre os métodos de controle biológicos utilizados uma alternativa viável tem sido o uso da proteína CRY produzida pelo Bacillus thuringiensis aplicada diretamente sobre as culturas na forma de um bioinseticida. Mais recentemente as técnicas de biologia molecular possibilitaram a clonagem do gene que codifica essa proteína e sua introdução em plantas gerando as plantas transgênicas conhecidas como plantas Bt. As proteínas quando ingeridas pelos insetos atuam nas membranas do intestino levando-os à morte. Atualmente mais de 600 genes que codificam essa proteína, oriundos de diferentes linhagens, foram identificados. Alguns desses genes apresentam especificidade, ou seja, a proteína produzida apresenta-se tóxica apenas para uma determinada ordem enquanto outros, por sua vez, não apresentam especificidade atuando no controle de mais de uma ordem. Neste trabalho foram analisadas e comparadas, utilizando os programas CLUSTALW 2, PSIPRED v3.3 e MEGA 6, as sequências primárias e secundarias das proteínas CRY, especificamente da região dos domínios I, II e III. Foram comparadas as sequências das proteínas codificadas pelos genes CRY1Fa1 e CRY9Ba1 cuja proteína é tóxica para os insetos da ordem Lepidóptera, e CRY7Aa1 e CRY3Aa1 (Coleóptera) e CRY1Ia1 e CRY1Ib3 cuja proteína ataca as duas ordens Lepidóptera e Coleóptera indistintamente. A comparação das sequências primárias e secundárias das proteínas CRY possibilitou a identificação de diferenças na região final do domínio II e começo do domínio III referentes às estruturas β10 e β11, assim como, na região entre elas (loop 3) que podem ser as responsáveis pela especificidade das proteínas por representarem regiões de ligação ao receptor. Comparando-se as sequências dos genes CRY1Ia1 e CRY1Fa1, especificamente na região do loop 2 presentes no domínio II, verificou-se que na proteína que atua sobre os insetos das ordens Lepidóptera e Coleóptera existem 24 aminoácidos DAIGTVHPHPSFTSTTWYNNNAPS; enquanto na mesma região do gene CRY1Fa1 específico para Lepidóptera, existem 16 aminoácidos SSVIEDSPVSANIPNG. Essa região é sabidamente responsável pela ligação de receptores e assim as diferenças em número e tipo de aminoácidos encontrados podem influenciar a ligação dos receptores, favorecendo a ligação de diferentes receptores que poderiam ser os responsáveis pela especificidade da ação da proteína.pt_BR
dc.format.extent87 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectBiotecnologiapt_BR
dc.subjectAminoácidospt_BR
dc.subjectProteínaspt_BR
dc.titleAnálise comparativa das sequências codificadoras dos genes cry de Bacillus thuringiensispt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.contributor.advisorZingaretti, Sonia Marli


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record



UNAERP
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons